Maestro Virtual - Teoria Musical
maestrovirtual.com.br o site da comunidade musical
Curso Básico de Teoria Musical
Data de teoria musical 10/Ago/2022
Capítulo XXXVI
Ornamentos

 

Dizemos que existe um ornamento quando uma ou mais notas acessórias se ajuntam a uma nota da melodia ou do acompanhamento.

A nota próxima ao ornamento é chamada de “nota real”.

Ex 299

A duração da nota ou das notas do ornamento é incluída na da nota real.

Ex 300

Agora a execução do exemplo acima.

Ex 301

Ex 302

Os ornamentos podem ser indicados por uma ou mais notas de tamanho pequeno ou por sinais especiais.

Ex 303

Ex 304

Os ornamentos mais comuns são:

1) Appogiatura: Nota mais aguda ou mais grave do que a nota real, de um tom ou semitom. É um ornamento muito utilizado na música contemporânea.

Ex 305

As appogiaturas podem ser:

·         Superior ou inferior;

·         Longa ou breve;

·         Simples ou dupla.

A appogiatura é superior quando mais aguda que a nota real, caso contrário será inferior.

Ex 306 - Appogiatura superior executada a uma 2ª maior ou menor da nota real:

Ex 307 - Appogiatura inferior executada uma 2ª menor inferior da nota real (Por exceção a do 7º grau é executada uma 2ª maior inferior):

A appogiatura é longa quando sua duração está incluída na duração da nota real.

É breve quando sua duração está incluída na duração da nota anterior à real, podendo ser simples ou dupla composta.

O valor da appogiatura longa é metade do de uma nota real simples e 1/3 ou 2/3 do de uma nota composta.

Ex 308 - Appogiatura com nota real simples (representada pela metade do valor da nota real, toma o valor da metade desta):

Execução do trecho acima:

Ex 309

Ex 310– Exemplo de appogiatura com nota real pontuada: Antes de uma nota pontuada e com o valor do ponto, e executada com este valor.

Execução do trecho acima:

Ex 311

O valor de uma appogiatura breve é incluído no valor da nota anterior à real.

Ex 312

Execução do trecho acima:

Ex 313

A única diferença na escrita das appogiaturas longa e breve é o traço oblíquo existente na appogiatura breve.

Ex 314 - Appogiatura longa e Appogiatura breve(curta):

A appogiatura simples é aquela de uma nota sozinha, enquanto que a dupla é formada por duas notas.

Ex 315 - Appogiatura simples: Tem a forma de uma colcheia com a haste cortada por um traço oblíquo.

Ex 316 - Appogiatura composta (dupla): Tem a forma de duas semicolcheias e consiste na reunião e execução das appogiaturas simples superior e inferior ou vice-versa.

ou

Superior

Inferior

2) Mordente: corresponde à execução rápida de uma nota real com a nota imediatamente superior ou inferior. Sua execução é idêntica à da appogiatura dupla.

O mordente pode ser superior, inferior, simples ou duplo. É representado por duas notas em forma de semicolcheia ou pelos sinais abaixo:

Ex 316

Superior
Inferior

a) Mordente superior: Quando a sua segunda nota está a uma 2ª superior.

Ex 317

ou

b) Mordente inferior: Quando a sua segunda nota está a uma 2ª inferior.

Ex 318

ou

c) Mordente simples: simples possui três notas, com a real inclusa.

Ex 318 - Mordente simples:

Execução do trecho acima:

Ex 319

d) Mordente duplo: possui cinco notas, também já contando com a nota real.

Ex 320 - Mordente duplo:

Execução do trecho acima:

Ex 321

Caso a nota superior ou inferior seja acidentada, devemos escrever esse acidente sobre o sinal do mordente.

Ex 322

Execução do trecho acima:

Ex 323

3) Trinado: Execução rápida e alternada da nota real com a sua 2ª superior. É representado pelas duas primeiras letras (tr).

Ex 324

Observações:

a) Normalmente o trinado é iniciado pela nota real, todavia ele pode ser iniciado pela 2ª superior ou inferior. Neste caso, uma pequena nota idêntica a appogiatura breve será colocada antes da nota real.

Ex 325

b) Quando se quer terminar o trinado de forma diferente da normal, indica-se esta terminação por meio de notas.

Ex 326

c) Quando se quer alterar a nota superior de um trinado, coloca-se o acidente sobre/sob o sinal do ornamento.

Ex 327

d) A colocação de uma linha ondulada em seguida ao sinal tr, indica que todas as notas que estejam sob esta sejam trinadas.

Ex 328

 

Nota: Para terminar um trinado com arte, é permitido usar, na execução, notas a mais que as correspondentes ao valor da nota real. Neste caso teremos um grupo de quiálteras regulares ou irregulares.

4) Grupeto: Execução sucessiva de 3 ou 4 notas por graus constantes. A nota mais grave fica a uma 2ª inferior e a mais aguda, uma 2ª superior da nota real.

a) Pode ser representado por pequenas notas ou por sinais:

Ex 329

Mordente superior
Mordente inferior

Ex 330

Mordente superior
Mordente inferior

b) Quando se quer alterar a nota superior ou inferior, coloca-se o acidente sobre ou sob o sinal. Caso alterem-se ambas, coloca-se os acidentes em cima ou embaixo do sinal:

Ex 331

=
=
=

5) Grupeto de três notas

a) Estando o sinal colocado em cima da nota real ou as pequenas notas antes dela, a execução será feita em forma de quiálteras antes da nota a que se refere, da qual tira o seu valor.

Ex 332

=

b) Estando o sinal ou as pequenas notas colocadas entre duas notas de mesma entoação(altura), a execução será feita em forma de três quiálteras depois da 1ª nota, da qual tira o seu valor.

Ex 333

=

6) Grupeto de quatro notas

O grupeto tem quatro notas quando aparece entre duas notas de diferente entoação (altura). É executado depois da nota a que se refere, da qual tira seu valor.

Ex 334

=

7) Glissando

É o deslizar rápido e contínuo de uma nota até outra.

Há uma distinção entre o glissando nos instrumentos de afinação fixa para os instrumentos de afinação não fixa.

Nos instrumentos de afinação fixa, como o piano, o glissando é feito deslizando rapidamente de uma tecla a outra, podendo ser feito apenas com as teclas brancas, somente com as teclas pretas ou com ambas as teclas.

O glissando é escrito com a nota de partida e a de chegada ligadas por um traço ondulado, podendo ser acompanhado da abreviatura “gliss.”.

Ex 335

Nos instrumentos de afinação não-fixa, o glissando é sinalizado por um traço ligando a nota de partida à nota de chegada acompanhada da abreviatura “gliss.”.

Ex 336

Quando o glissando é composto por poucas notas, as chamamos de notas glissadas.

Ex 337

8) Portamento

É o deslizar rápido e discreto de uma nota para outra, executado pouco antes do ataque desta última. É um ornamento representado por uma pequena nota em forma de colcheia. Tem a mesma entoação da nota que o segue e tira seu valor da nota anterior.

O portamento existe nos instrumentos de afinação fixa e na voz humana.

Nos instrumentos de afinação não-fixa, o portamento é sinalizado por um traço que une a nota de partida à de chegada.

Ex 338

Quando presente na voz humana, o portando recebe o nome de portamento. É sinalizado por uma linha curva unindo a nota de partida à de chegada.

Ex 339

Ex 340

Notação
Execução

9) Floreio

Grupo de pequenas notas(semicolcheias) executadas rapidamente, tirando seu valor da nota precedente. Quando antecede a primeira nota real do trecho, é executado em forma de “anacrusa”.

Ex 341

Notação
Execução

10) Harpejo

Ocorre quando executamos rapidamente e sucessivamente as notas de um acorde. É representado por uma linha ondulada vertical ao lado do acorde.

Ex 342

Notação
Execução

Geralmente o harpejo é executado da nota mais grave para a mais aguda. Se quisermos inverter essa ordem, teremos que indicar da seguinte maneira:

Ex 343

O exemplo acima indica que o harpejo será executado da nota mais aguda para a mais grave.

A maior ou menor rapidez na execução de um ornamento dependerá do andamento da música.

Vale lembrar que a indicação do arpejo pode ser feita separadamente para cada pauta ou ininterruptamente para as duas pautas.

Vejamos alguns casos:

a) No primeiro caso as notas da 1ª pauta(superior) são executadas simultaneamente às da 2ª pauta(inferior).

Ex 344

Notação
Execução

b) No segundo caso as notas serão emitidas sucessivamente:

Ex 345

Notação
Execução

11) Cadência

Ornamento constituído por uma série de notas que não faz parte do valor do compasso e encerra um sentido mais ou menos completo. Comporta qualquer quantidade de notas e geralmente começa e termina com uma fermata, sendo sua execução feita livremente, levando-se em conta, naturalmente, o valor relativo das figuras que a constituem.

Ex 346

Documento sem título

Comente o capítulo

Documento sem título
Maestro Virtual © 2008 - 2022